Tainá Galvão sobre semelhança com o pai, Fábio Jr. ‘Fala que sou ele de saia’

Em Blog

Filha do cantor inicia carreira musical, lança EP e mostra maturidade diante de críticas: ‘Não estou num personagem. Se não gosta, paciência’.

Hoje com 30 anos, Tainá Galvão relembra que iniciou um flerte com a música aos 13. Em 2013, o encontro foi mais forte. Ela fez algumas apresentações ao lado do pai, Fábio Jr., após gravar uma participação em “Íntimo”, um dos CDs do cantor. Mas foi só neste ano mesmo que Tainá colocou a mão na massa e, de forma independente, iniciou a gravação de seu EP, que conta com quatro faixas.

“Quando comecei a cantar com meu pai, ainda estava na dúvida se ia seguir a profissão mesmo, me questionando se sabia exatamente meu caminho da música. Nunca quis lançar uma coisa para aproveitar o momento, sempre procurei minha verdade e o que queria cantar. E isso aconteceu agora comigo, foi muito natural”, explica Tainá em entrevista ao EGO.

A primeira música de trabalho de Tainá é “A gente fala demais”, uma faixa romântica que segue a linha bem-sucedida de seu pai. “Sou uma pessoa absurdamente romântica, sempre fui, desde novinha. Não vou fazer uma análise para saber se isso veio do meu pai ou se nasci assim, mas a gente tem um coração muito igual. Meu pai sempre fala que sou ele de saia”, diverte-se ela, que namora o empresário Flavio Portella há cinco anos.

“Ele é muito crítico com os filhos. Então a gente sempre fica muito nervoso quando vai mostrar alguma coisa para ele.” – Tainá Galvão

Apesar das já esperadas comparações, Tainá mostra-se madura e revela não se preocupar com eventuais críticas que possam surgir. “Sempre tive esse medo, mas não relacionado ao meu pai. E, sim, em relação ao meu trabalho. Acho que até por isso demorei a lançar. O que eu precisava saber é que não importa se chegar alguém e falar: ‘Odiei o que você canta’. Isso não tem problema, hoje estou 100% segura de que é o que sou. Não estou num personagem, não estou cantando alguma coisa que me pediram. É meu, sou assim. Se não gosta, paciência”, dispara.

Tainá conta que, por estar no início da carreira, ainda não sofreu com o assédio que vem junto à fama, como sua irmã Cleo Pires já revelou ter encarado. E nem teve problemas com a fama do pai, como já declarou Fiuk. Em entrevista, o irmão comentou há alguns anos que pagou um preço alto por ser filho de Fábio, já que ele queria mostrar realmente quem era, independentemente do sucesso do pai.

Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)

 
“As pessoas são muito más hoje em dia, né? Mas, ao mesmo tempo, estou num momento bem madura, estou com 30 anos. Se eu fosse mais nova, talvez me abalassem algumas coisas. Lógico, sou humana, ninguém é inatingível nas críticas. Quem não odeia crítica? Mas hoje estou muito tranquila em relação a isso. Sou filha do meu pai, entendeu? Não adianta querer negar isso. E jamais negaria porque tenho o maior orgulho. Ele é o Fábio Jr. para as pessoas. Mas ele é meu pai, ele me fez. É uma coisa natural”.

Críticas e conselhos
E, por falar em críticas, Tainá conta que as mais difíceis de receber são as de Fábio Jr. “Ele é muito crítico com os filhos. Então a gente sempre fica muito nervoso quando vai mostrar alguma coisa para ele. Quer sempre que a gente tire nosso melhor. Se tem uma nota errada, ele fala que não ficou legal. Quando ele fala que adorou, todo mundo faz festa”, diverte-se Tainá, aos risos.

Apesar das críticas paternas, Tainá não hesita em pedir conselhos para o pai sempre que precisa. “Meu disco agora, fiz tudo sozinha. Mas também não sou burra, óbvio, tenho um professor em casa. Então levo o que posso, pergunto opinião dele. Não chega a ser determinante, mas é muito importante para mim. Tanto a opinião como pai quanto cantor”.

Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)

 
Psicologia
Antes de chegar à certeza da carreira musical, Tainá ingressou em cinco faculdades. “Por sinal, é a mesma quantidade que meu pai fez. E não foi de propósito (risos). Fiz, no mínimo, um ano de cada uma. Fiz Psicologia, Gastronomia, Direito, Design de Interiores e Publicidade. Mas não me formei. Agora se eu for presa, ferrou”, brinca ela.

Tainá ainda sonha em se formar em uma delas. “Amo psicologia, mas me aprofundo tanto nas coisas que tenho um pouco de receio. Então acho que não tenho maturidade (risos). Vou esperar mais um pouquinho, mas pretendo me formar”.

Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Tainá Galvão (Foto: Celso Tavares/EGO)
Fonte: EGO
Publicações Recentes